Missing image

21 de setembro: Dia da Árvore, Dia Internacional da Árvore, ou Festa anual das árvores?

No Brasil, desde 1965, a Festa Anual das Árvores foi estabelecida em substituição ao Dia da árvore. A data varia conforme os estados, e, no RS, ocorre no dia 21 de setembro [1].

 

O tema tem grande relevância, pois trata da conscientização em relação à preservação das árvores e florestas.

 

As árvores são essenciais para a manutenção de nossa existência no planeta: Além de purificar o ar, as florestas são muito importantes para o regime de chuvas, que por sua vez é vital para a agricultura. Embora muitas pessoas não saibam, o impacto do desmatamento em regiões como a Amazônia pode causar seca e desabastecimento de água nas regiões Centro-Oeste, Sudeste e Sul, além de países fronteiriços [2]. Portanto, a preservação das árvores e das florestas não é apenas uma questão de respeito aos animais, nossos irmãos em evolução, mas também uma questão de sobrevivência para a espécie humana.

 

Devemos ser gratos às árvores. Desde que iniciamos nossa jornada evolutiva neste planeta, as árvores têm fornecido sombra para nosso descanso, madeira para nossas casas e barcos, frutos para nossa nutrição, medicamentos para nossa saúde, celulose para nossa educação, beleza para nossa visão, e inspiração para nossos poemas.

 

Nossa ciência já sabe que a simples proximidade com as árvores faz bem à nossa saúde [3].

 

Tendo em vista que as árvores são tão importantes ao ponto de contribuírem tanto em nossas necessidades mais básicas, como respiração e alimentação, quanto em nossas necessidades mais sublimes, como educação e criatividade, o que temos feito para retribuir esse carinho? Como temos tratado nossas florestas?

 

Na frase escolhida para o tema deste mês, Emmanuel nos lembra de nossa responsabilidade para com o meio no qual vivemos. Ele nos diz que “devemos melhorar e elevar, através de nossa influência [e trabalho], as condições materiais e morais do meio onde somos chamados a viver” [4]. Nessa frase, o termo “meio” engloba nossa família, nossa sociedade, e também nosso meio ambiente. Devemos sim melhorar nossas condições de vida material, pois essa melhora demanda de nós constante evolução intelectual, porém devemos nos certificar de que nossa evolução intelectual seja acompanhada de nossa evolução moral [5]. Nossos valores morais devem englobar o respeito pela Natureza, obra divina, que serve de pano de fundo para evolução de todas as espécies neste planeta [6].

 

Deus entrega a nós, seres conscientes e racionais, a tutela e a manutenção de nosso orbe, no qual, certamente, voltaremos a viver [6].

 Sabemos que as florestas são ecossistemas importantes para nosso planeta, por isso devemos respeitá-las, evitando desmatá-las, e recuperando-as.

 

Referências bibliográficas em ordem de aparição:

[1] http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/Antigos/D55795.htm, acessado em 03/09/2020;

[2] http://riosvoadores.com.br/o-projeto/fenomeno-dos-rios-voadores, acessado em 03/09/2020;

[3] NATURAL ENVIRONMENT, STRESS AND MENTAL HEALTH, M. Milenović, S. Živković, M. Veljković. University of Niš. Series: Working and Living Environmental Protection Vol. 14, No 3, 2017, pp. 225 – 234.

[4] XAVIER, Francisco Cândido. O Consolador. Pelo Espírito Emmanuel. 26. ed. Rio de Janeiro: FEB, 2006.

[5] Livro dos Espíritos, capítulo VI, Lei do Progresso.

[6] Livro dos Espíritos, capítulo IV, Lei de Conservação.